Brincadeiras físicas e de lutas amigáveis: devemos inibir ou encorajar?

Brincadeiras físicas e de lutas amigáveis: devemos inibir ou encorajar?

As brincadeiras físicas ou de luta (a fingir) são denominadas na literatura científica como ‘rough and tumble play’ e são definidas como brincadeiras mais brutas e/ou vigorosas que incluem agarrar, perseguir, empurrar, ‘luta livre’ que parecem comportamentos agressivos, mas que ocorrem em contexto lúdico [1]. Este tipo de brincadeiras pode ser confundido com demonstrações de… Continuar a ler

Crianças deslocadas: “Fugi da Guerra mas ainda não me sinto a salvo”

Crianças deslocadas: “Fugi da Guerra mas ainda não me sinto a salvo”

Existem cerca de 86 milhões de deslocados no mundo. A Ucrânia, a Síria e a Venezuela são os países com maior número de deslocados. Destes, 40% são crianças com menos de 12 anos. Portugal recebeu, recentemente, um elevado número de crianças e famílias deslocadas da guerra da Ucrânia e Síria, e refugiadas do Afeganistão e… Continuar a ler

Qual a melhor estratégia para lidar com os conflitos que ocorrem numa sala de jardim de infância?

Qual a melhor estratégia para lidar com os conflitos que ocorrem numa sala de jardim de infância?

Pense numa sala de jardim de infância. E se colocássemos câmaras na cabeça de algumas crianças, de modo a registar como os conflitos se desenrolam? Foi o que fez um grupo de investigadoras da universidade de Ohio State (1) visando analisar quais as intervenções dos/as educadores/as que eram mais eficazes para a resolução de conflitos… Continuar a ler

Intervenção precoce todos os dias: O papel da consultoria colaborativa

Intervenção precoce todos os dias: O papel da consultoria colaborativa

Os profissionais de intervenção precoce são recursos essenciais para apoiar a inclusão de crianças com necessidades de suporte adicional. Contudo, não conseguem estar com as crianças muito tempo, nem todos os dias. Então, de que forma podemos assegurar que a intervenção precoce acontece, em casa, na creche ou jardim de infância, quando estes profissionais não… Continuar a ler

Apoiar as crianças a relaxar.

Apoiar as crianças a relaxar.

Baseado no Blog Holandês dos Primeiros Anos escrito por Tamara Wally. Nós exigimos demais das crianças mais novas, às vezes sem termos essa noção. Na sala, elas ouvem sons e barulho o dia todo. Dizemos para serem atenciosas com as outras crianças e brincarem juntas. Ensinamo-las a seguirem regras, como sentarem-se na cadeira durante as… Continuar a ler

Promover a participação das crianças? Sim, mas como?

Promover a participação das crianças? Sim, mas como?

Participação como um direito: 3 aspetos importantes O que é o direito à participação? Segundo a Convenção sobre os Direitos das Crianças [1], todas as crianças, independentemente da idade ou maturidade, têm o direito de expressar livremente as suas ideias e perspetivas, vendo-as respeitadas e consideradas, e participando assim nos assuntos e decisões que lhes… Continuar a ler

“Nunca tentei isso antes, por isso acredito que devo ser capaz de o fazer”!

Pippi

Nunca tentei isso antes, por isso acredito que devo ser capaz de o fazer! Esta frase pertence à Pipi das Meias Altas, a personagem principal de uma série de livros para a infância da autora sueca Astrid Lindgren. É uma frase muito otimista e ousada. Mas, o que podemos aprender com ela? Autoeficácia A frase… Continuar a ler

Entrar na brincadeira e continuar a brincar: As estratégias sociais no grupo de pares

Entrar na brincadeira e continuar a brincar: As estratégias sociais no grupo de pares

As interações e relações sociais contribuem, de forma única, para o desenvolvimento das crianças. No jardim de infância, muitas crianças são expostas, pela primeira vez, a um elevado número de pares, fora do contexto familiar. Nestes contextos, são estabelecidas diversas dinâmicas sociais complexas e as crianças passam, progressivamente, de uma brincadeira solitária para uma brincadeira… Continuar a ler

Acabou o Verão, vamos para a praia! A exploração da criança e as atividades pré-escolares na praia

Acabou o Verão, vamos para a praia! A exploração da criança e as atividades pré-escolares na praia

A praia pode, e deve, ser usada todo o ano por famílias e por escolas. Portugal tem uma costa marítima de quase 2000 km e praias lindas. Contudo, as praias são usadas sobretudo no verão. Talvez seja tempo de mudar! A praia é bonita, excitante de todos os sentidos, divertida, diversa em fauna e flora,… Continuar a ler

Cooperação eficaz com as famílias – como preparar o “terreno”?

Cooperação eficaz com as famílias – como preparar o “terreno”?

A mãe da Estefânia está frustrada. Estava a falar com a sua filha a caminho de casa quando descobriu que as crianças passaram o dia todo a brincar. Este é o terceiro dia consecutivo em que a Estefânia ‘não aprendeu’ nada! Como é que isto se relaciona com a garantia do educador de que as… Continuar a ler

O recreio: um requisito para uma educação infantil de qualidade

O recreio: um requisito para uma educação infantil de qualidade

Após vivermos um período de confinamento, com limitações no uso dos espaços exteriores, questionamo-nos sobre quão importante é para as crianças, principalmente em idades mais precoces, disfrutarem do recreio ao ar livre na creche ou no jardim de infância. Tempo ao ar livre na primeira infância As evidências sugerem que, atualmente, as crianças brincam menos… Continuar a ler

Subitizing (perceção súbita) no pré-escolar: ver quantos são, sem contar

Subitizing (perceção súbita) no pré-escolar: ver quantos são, sem contar

Dado o rápido desenvolvimento de competências matemáticas das crianças em idade pré-escolar, a educação de infância de qualidade deve envolver atividades matemáticas. Compartilhamos uma mensagem muito popular da formadora de professores/as educadores/as de Astrid Cornelis (Professora na Formação Inicial de Educadores e Professores, Thomas Moore), publicada anteriormente no blogue belga Kleutergewijs e que agora traduzimos,… Continuar a ler

A importância dos brinquedos com género neutro

A importância dos brinquedos com género neutro

Nesta mensagem Magdalena Woźniak-Frymus da Comenius Foundation for Child Development reflete acerca da importância das crianças terem acesso a brinquedos e livros com género neutro. No que pensamos quando temos de comprar um presente de aniversário para o/a amigo/a do/a nosso/a filho/a? Para muitos pais (mesmo que sejam profissionais de educação de infância), o primeiro instinto… Continuar a ler

Vamos (re)começar? O foco no bem-estar emocional das crianças em creche e em jardim de infância

Vamos (re)começar? O foco no bem-estar emocional das crianças em creche e em jardim de infância

Uma das coisas que me deixam de coração cheio é ouvir o riso de crianças.    Rir, saltar de alegria, falar energicamente, sorrir, cantar, ter um olhar atento, de quem está a captar o mundo todo, são alguns dos sinais que traduzem o bem-estar emocional das crianças e que esperamos encontrar nos contextos de educação… Continuar a ler

Relações positivas e significativas no contexto de trabalho: Como cultivá-las?

Relações positivas e significativas no contexto de trabalho: Como cultivá-las?

A qualidade da relação que os/as educadores/as de infância estabelecem com colegas e com a direção/coordenação é um dos fatores que mais contribui para o seu bem-estar. De facto, a experiência de relações positivas com os outros (R – Relações) surge como um dos cinco elementos chave para o bem-estar ou florescimento dos indivíduos, de… Continuar a ler

Heróis antes do tempo: a prática pedagógica com o bebé de pré-termo

Heróis antes do tempo: a prática pedagógica com o bebé de pré-termo

A prematuridade é a principal causa de morte infantil peri e pós-parto. Cerca de 9% dos bebés nascem prematuramente, ou seja, com idade gestacional inferior a 37 semanas. O número de semanas de desenvolvimento intrauterino condiciona fortemente o desenvolvimento e saúde dos bebés. Com efeito, as complicações associadas a um nascimento prematuro agravam-se com a… Continuar a ler

SOS: Bem-estar de educadores/as de infância

SOS: Bem-estar de educadores/as de infância

A educadora Maria José é coordenadora pedagógica de um jardim-de-infância há mais de 20 anos e refere que nunca sentiu tantos desafios na sua atividade como no último ano. A pandemia veio agravar algumas das suas preocupações, sendo o bem-estar dos/as profissionais da instituição uma delas. Sabendo que os/as profissionais de educação, incluindo os/as educadores/as… Continuar a ler

Quando as crianças brincam sozinhas

Quando as crianças brincam sozinhas

Na mensagem De que forma pode um/a educador/a potenciar a brincadeira entre pares? vimos a definição de brincadeira, os diferentes tipos de brincar. Um dos tipos de brincadeira apresentada foi a brincadeira solitária, onde “a criança brinca sozinha com materiais ou ações escolhidas livremente”. Porém, serão todas as brincadeiras solitárias iguais? O que é a… Continuar a ler

“ele pensa se tiver lugar”: espaços e tempos filosóficos na infância?

Filosofia na infância

A frase que citamos no título é do Miguel. No alto dos seus 5 anos, o Miguel respondia à pergunta de uma colega de turma sobre se um bebé pensa. Pensa?!, inquiríamos com o grupo de um Jardim de Infância, nos Açores, durante uma sessão semanal de filosofia. “Pensa se tiver lugar”, respondia o Miguel… Continuar a ler

Prato do dia: Alimentação com emoção

Prato do dia: Alimentação com emoção

“Não fica nada no prato”; “Se parares de chorar, dou-te um chocolate”; “Se comeres tudo, a seguir podes ir brincar”. Frases destas são o “prato do dia” de muitos momentos de refeição que envolvem adultos e crianças. Na hora das refeições, emoções e alimentos são ingredientes que se misturam. Com alguma frequência, nos contextos de… Continuar a ler

Memórias felizes do jardim de infância

Memórias felizes do jardim de infância

Já tive o privilégio de ser acolhida por educadores/as e crianças de dezenas de salas de creche e de jardim de infância. Em todas elas, aprendi algo novo sobre educação, desenvolvimento e aprendizagem! Contudo, há salas que ficam na memória, pelo que aprendi, pelo que vivi. Vou contar-vos sobre quatro salas e quatro educadoras de… Continuar a ler

Oportunidades de escolha – como cultivar a autodeterminação na infância?

Oportunidades de escolha – como cultivar a autodeterminação na infância?

“Quero trocar a fralda depois do mano” (…) “Começo a fazer dieta depois do fim-de-semana” As duas frases têm em comum a escolha e o sentido de controlo. Separa-as o tempo e todas as vivências que nos levam de uma criança que escolhe a um adulto que decide. A primeira situação é tipicamente instigada por… Continuar a ler

Participo… Porque tenho direito: Os direitos à participação em tempos de pandemia

Participo… Porque tenho direito: Os direitos à participação em tempos de pandemia

Os direitos à participação estão consagrados na Convenção sobre os Direitos das Crianças [1] e constituem um dos 3Ps. De facto, desde as idades mais precoces, as crianças têm o direito de expressar as suas ideias sobre os assuntos que lhes dizem respeito, vendo-as consideradas, sempre que apropriado, e de acordo com a sua idade… Continuar a ler